quarta-feira, 28 de dezembro de 2011


Oi, mamãe.
Faz apenas alguns dias que você me concebeu em sua barriguinha.
Na verdade, não posso explicar como estou feliz em saber que você será minha mamãe.
Outra coisa que me enche de orgulho é ver o amor com que fui concebido.
Tudo parece indicar que eu serei a criança mais feliz do mundo!
Mamãe, já se passou um mês desde que fui concebido e já começo a ver como o meu corpinho começou a se formar, quer dizer, não estou tão lindo como você, mas me dê uma oportunidade! Estou muito feliz! Mas tem algo que me deixa preocupado...
Ultimamente me dei conta de que há algo na sua cabeça que não me deixa dormir, mas tudo bem, isso vai passar, não se desespere.
Mamãe, já se passaram dois meses e meio, estou muito feliz com minhas novas mãos e tenho vontade de usá-las para brincar.
Mamãezinha me diga o que foi? Por que você chora tanto todas as noites?


Porque quando você e o papai se encontram, gritam tanto um com o outro?
Vocês não me querem mais ou o que? Vou fazer o possível para que me queiram...
Já se passaram três meses, mamãe, te noto muito deprimida, não entendo o que está acontecendo, estou muito confuso.
Hoje de manhã fomos ao médico e ele marcou uma visita para amanhã...
Não entendo, eu me sinto muito bem... Por acaso você se sente mal mamãe?
Mamãe, já é dia, onde vamos? O que está acontecendo mamãe?
Mamãe, não se deite, ainda são 2 horas da tarde, não tenho sono, quero continuar brincando com minhas mãozinhas.
Hei! O que esse tubinho está fazendo na minha casinha?
É um brinquedo novo? Olha!
Hei, porque estão sugando minha casinha?
Moço, porque a arrancou? Não vê que me machuca?
Não vê que ainda sou muito pequeno para me defender sozinho?
Mamãe! Espere, essa é minha mãozinha!
Mãe, a minha perninha, estão arrancando!
Mamãe me defenda!
Mamãe me ajude!
Diga para eles pararem, juro a você que vou me comportar e que não vou mais te chutar.. Como é possível que um ser humano possa fazer isso comigo?
Ele vai ver só quando eu for grande e forte, ai mamãe, já não consigo mais... Ai... Mamãe, mamãe, me ajude...
- Mamãe, já se passaram 17 anos desde aquele dia, e eu daqui de cima observo como ainda te machuca ter tomado àquela decisão.
Por favor, não chore, lembre-se que te amo e que estarei aqui te esperando com muitos abraços e beijos.
Te amo muito!
Seu bebê. =/


2 comentários:

Receba atualizações no Email.

Pesquisar sobre

Quem sou eu

Minha foto
Aos 34 anos, sagitariana com ascendente em capricórnio (discordo, mas fazer o quê?!), do Rio de Janeiro (com louca vontade de morar num lugar tranquilo), estudante de psicologia, mãe e pai da pequena Bia, de 5 anos. E esse blog fala da nossa trajetória.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.