segunda-feira, 21 de dezembro de 2015
Olá, pessoal!! 

Temos outra participação na Página (Veja aqui) e no Blog. A amada Hayat (AMIGA e leitora) do Blog Cartas de Encorajamento respondeu à Tag Liebster Award, que a Lisandra Manfredi (http://www.lisandramanfredi.com/) me indicou e resolvi postar aqui.

Hay, feliz com a sua participação! Obrigada!!!



************

11 fatos sobre mim:

1 - Fui mãe aos 19 anos. Fui fazer o teste de gravidez na sexta feira antes do dia das mães, e quando recebi resultado, a moça do laboratório entregou o resultado, olhou para mim e disse: - feliz dia das mães!
2 - Quando minha filha completou 1 mês de nascida, completei 20 anos.
3 - Foi uma gravidez conturbada e solitária. Precisei amadurecer para enfrentar uma gravidez sozinha e depois, criar uma filha sozinha. Enfrentando preconceitos de todos os lados.
4 - Uma coisa que me incomodava no inicio da maternidade era de não ser chamada para muitas festinhas infantis. Escutei muito por minhas costas: "A bichinha! Não vai ter dinheiro para comprar o presente. Afinal, ela é sozinha par assumir todas as responsabilidades financeiras."
5 - Outra coisa na qual luto até hoje, é por eu ainda morar com meus pais, não consigo educar minha filha como eu quero. Meus pais se interrompem bastante na educação dela e estragam, me fazendo ser a vilã da historia.
6 - Eu amo ler. E tenho um grande sonho de ser uma escritora.
7 - Gosto muito de passear. Seja para um fim de semana na lagoa, ou tomar um lanche na lanchonete do bairro. Mas ultimamente prefiro ficar em casa, embaixo do lençol, assistindo a m bom filme, tomando sorvete.
8 - Em outubro de 2013 conheci um homem maravilhoso que assumiu a mim e a minha filha.
9 - Ele registrou ela em cartório dando o sobrenome dele a ela. Eles se amam tanto que nem lembram do fator sanguíneo. Ela o respeita como pai e ele a trata como filha, assim como os filhos que ele tem de outro relacionamento.
10 - Muitas pessoas me recriminam, outras me acham louca. Mas meu sonho é ser dono de casa, cuidar da minha família, cuidar da educação da minha filha... isso sem passar aperto financeiro.
11 - Antes, achei que nunca ia encontrar alguém que me aceitasse na condição de mãe em carreira solo. Pensei que nunca ia encontrar alguém que me valorizasse, me respeitasse e me amasse. E ENCONTREI.

______________________________________

Respondendo as perguntas da Nih Ferreirat:


1. Qual seu nome? Tem quantos anos? Mora em que Estado/Cidade?
2. Qual o assunto principal de seu blog? Tem FanPage? Qual?
3. Você acompanha algum canal no Youtube de algum Vlogueiro (a)? Qual?
4. Como surgem as inspirações para as suas postagens no blog?
5. Você ganha dinheiro com seu blog? Como?
6. Um sonho ainda não realizado?
7. Uma música que você ama (colocar um trechinho dela)?
8. Indique um livro que você tenha adorado ler.
9. O que mais gosta de fazer?
10. Quais são seus principais planos para 2016?
11. Poste uma selfie (De preferência tirada na hora).



1 - Meu nome é Hayat Medeiros. Se lê assim, Raiete. Há 25 anos soletro meu nome para as pessoas porque ninguém sabe escrever ou pronunciar. Moro na cidade do sol, no nordeste brasileiro, Natal, Rio Grande do Norte.
2 - Tenho um grupo público no Facebook https://www.facebook.com/groups/1423143827977604/?ref=ts&fref=ts
Mulher, Mãe, Esposa, Dona de Casa & Cristã.
3 - Não tenho blog, mas acompanho o blog da Nih a alguns anos. Foi através do blog dela que nos tornamos grandes amigas, mesmo que a distancia. http://mae-solo.blogspot.com.br/
4 - Minhas postagens no grupo do facebook, são inspiradas através das necessidades das meninas do grupo, em como educar os filhos, receitas, dicas de beleza, artesanato, e claro, atualidades. Tem varias postagens no grupo sobre o que está acontecendo no mundo e nossas opiniões sobre os assuntos.
5 - Não ganho nenhuma dinheiro na net.
6 - Tenho muitos sonhos ainda não realizados. Mas nesse momento, o meu grande sonho é casar na igreja de branco e irmos orar juntos. Sim, estou noiva!!
7 - Sou de fases, e por ser de fases, quando começo a escutar músicas de um cantor, só escuto elas. E estou num momento que só escuto Marcela Tais. Ela canta em forma de poesia.
"Muita calma nessa alma, vai ficar tudo bem. Muita cama nessa alma, lembre-se de quem você tem."
8 - Adoro ler, mas esse ano fui uma negação. Mas indico todos os livros de Max Lucado.
9 - Eu adoro ouvir música, ir ao cinema. Ou ficar de perna para o ar, deitada na cama, assistindo a um bom filme e tomando sorvete.
10 - Eu gosto de fazer aquelas listinhas de idealizações para o novo ano. Ainda não terminei de fazer minha lista. mas um desejo enorme para esse ano é comprar uma maquina de costura e aprender a costurar.
11 - Uma selfie.


_________________________________

Minhas perguntas para a Nih:

- Quais são seus planos para esse ano de 2016?

- Quero que inclua em sua lista de idealizações algo para fazer
por alguém. Para fazer alguém feliz. Por exemplo, levar ao shopping uma criança que provavelmente não teria condições nenhuma de ir e tomar um lanche.

Hay, assim que der, respondo sua pergunta e faço a listinha! Beijos!!

_____________________

E caso você, que veio nos visitar, queira participar da Tag, deixe o pedido nos comentários junto com o endereço de mail, assim que eu ler, envio o email.
quinta-feira, 17 de dezembro de 2015


Olá, Blogueiraaas!!! 

Ganhei uma indicação agora duas indicações para responder a TAG Liebster Award (Liebster Prêmios).
Ebaaaaa, adoro tags, elas nos aproximam mais das leitoras!

Fui indicada pela fofa Lisandra Manfredi (http://www.lisandramanfredi.com/) e pela fofa Caroline Cristina (https://caffepimenta.blogspot.com.br/)
e vou já indicar pessoinhas pra responderem também!


Funciona assim:
J Escreva 11 fatos sobre você.
J Responda as perguntas de quem te indicou.
J Indique de 11 a 20 blogs com menos de 200 seguidores.
J Faça 11 perguntas para quem indicar.
J Coloque a imagem que mostre o selo Liebster Awards. (Selo aqui)
J Link quem te indicou.
Vamo lá??
>
>
>
11 fatos sobre mim:

1. Todo dia na hora em que o celular desperta, às 6:45h da manhã, fico colocando no soneca até dar 7:20h. Não consigo levantar antes. Fico ali lutando com a preguiça de levantar, até que sou vencida e levanto.

2. Não tenho vontade de aprender a dirigir. Tenho medo, pavor de trânsito e sou muito impaciente. Então meu grande sonho é ter condições financeiras de andar só de taxi ou de motorista particular. Mas prefiro taxi. Hehehehehe

3. Uma coisa que me incomoda na maternidade, ou seja, depois que fui mãe, é a hora de comer, almoçar, jantar... Sempre tenho que dar garfadas na boca da minha baby e acaba que comida perde a graça, fica fria muitas vezes e eu passo a comer sem vontade.

4. Outra coisa que me deixa bastante incomodada após ser mãe, é o fato de não poder mais comprar, comprar e comprar. Também não ir no salão fazer unhas ou escova e também não ter nunca dinheiro sobrando pra ir ao cinema, à praia e outras diversões. Ou seja, a vida mudou completamente.

5. Odeio estudar, sempre odiei, mas pretendo estudar psicologia. Quero ser alguém e por enquanto só vi essa forma de conseguir. Estudando. Minha cabeça dá um nó e parece que o cérebro empaca feito uma mula e dali eu não consigo passar. Espero que eu supere isso na faculdade, senão...

6. Amo fotografia. Amo tirar foto de tudo. Mas edito quase todas as fotos que eu posto. Não sei usar o photoshop, mas sempre mexo no brilho, coloco um filtro e tudo o mais em outro programa. Mas uma coisa que eu reparo na foto dos outros e ODEIO que tenha nas minhas fotos, são aquelas coisas feias atrás. Roupas espalhadas, sacolas, pessoas, qualquer coisa que seja feia atrás. Não gosto e não tiro e nem posto. E reparo em tudo atrás quando a pessoa posta a foto.

7. Se tem um coisa que eu sou é estranha. Não gosto de usar as frases ‘bom dia, boa tarde, boa noite’... Prefiro um ‘ooooiii, oláaaaa, eeiiii’, entre outras mais. Acho muito formal dar um ‘bom dia’ e sou muito espalhafatosa, então prefiro já chegar no ‘ooooieeeeee’. Hahahahahaha Mas mesmo assim eu uso essas frases, porque parece que as pessoas se ofendem se você não chegar dando bom dia, seja pessoalmente ou virtualmente.

8. O bicho que mais odeio, odeio, odeio é sapo (ou perereca, ou rã, tanto faz)! O-D-E-I-O! Esses dias achei que tinha entrado uma perereca no meu quarto e fiz minha mãe sair da casa dela pra tirar aquela peste de lá, mas minha mãe não achou nada e eu fiquei dias sem dormir direito. Aff!!

9. Tenho personalidade forte, ou seja, gênio difícil. Me esforço muito pra mudar e até já consegui bastante, mas têm coisas que parecem que nuuuunca vou conseguir. Difícil, viu?

10. Amo ler, praia, cinema, viajar!

11 . Sou mãe solteira e não me orgulho disso. Deveria ter sido mais inteligente.


_______________ Perguntas da Lisandra Manfredi pra mim:



1 - Qual sua idade? Estuda? Trabalha? Há quanto tempo tem o blog?

Tenho 33 anos, não estudo ainda, mas pretendo cursar Psicologia em 2016, trabalho em um Hospital e tenho o Blog há 4 aninhos, idade da minha filha. J

2 - Como surgiu a ideia do Blog e o que te motivou a criá-lo?

A idéia surgiu quando me vi grávida e solteira. Sem saber o que fazer, resolvi pedir ajuda, conhecer outras pessoas que já tinham passado pela mesma situação e compartilhar minhas experiências e dúvidas com elas. E também para meus desabafos!

3 - O que te inspira na hora de criar conteúdo? O que faz para manter a criatividade?

Me inspiro na minha vivência como mãe que cria a filha sozinha (sem a presença do pai), nas minhas dificuldades, alegrias, experiências fazendo os dois papéis. E às vezes a criatividade me foge um pouco, então percebo algo que esteja vivendo naquele momento e como posso resolver e crio um post.

4 - Você já fez, faz ou pretende fazer algum curso para se capacitar como blogueiro?

Nunca fiz e não pretendo. Mas pesquiso muito sobre esse mundo de blogs para me aperfeiçoar e melhorar o meu. E agora também estou entrando no mundo dos Vlogs.

5 - Quais as maiores dificuldades você encontra ou encontrou para desenvolver o Blog?

Minha maior dificuldade foi encontrar tempo para desenvolver meus posts. Criei o Blog quando estava grávida e depois que fui mãe começou a me faltar tempo para postar tudo o que passava na minha cabeça. Às vezes tinha textos enormes na mente, mas não podia digitar ou escrever naquele momento e aí eles se perdiam dentro da cachola. Hoje em dia tenho tempo, mas me falta inspiração. rsrsrrs

6 - O que sua família e amigos acham disso? Eles te apoiam? Você compartilha o blog com todos seus conhecidos?

Minha família não se liga muito em internet, então nem sabe sobre o Blog. Os amigos acham que eu me exponho muito em redes sociais e até mesmo no Blog, por isso não divulgo para todos, apenas para pessoas que compartilham das mesmas experiências que eu (como mães solteiras) e pessoas que só conheço pela internet. Da parte dos conhecidos mesmo, não sinto apoio.


7 - Que tipo de conteúdo posso encontrar no seu blog? E qual é seu conteúdo preferido, que te dá mais prazer em produzir?

No meu Blog você encontra minhas experiências a partir do momento em que engravidei e o pai não quis assumir, assim como: dúvidas, dificuldades, desabafos, dicas, desenvolvimento da minha baby, etc. Tenho prazer em contar situações que aconteceram comigo, como aconteceram e como foram resolvidas.

8 - Tem algum guru de inspiração?

Não...

9 - O que você procura nos blogs que lê? E o que te conquista em um blog?

Procuro histórias parecidas com a minha, procuro dicas de maternidade, experiências de outras mães em relação a comportamento, educação, desenvolvimentos (etc.) dos seus filhos e dicas de beleza também, coisas que eu possa fazer sozinha, sem gastar muito dinheiro ou tempo, porque os dois são escassos pra mim. hahahahahaha

10 - Quais suas metas pessoais e para o blog em 2016?

Pretendo entrar no mundo dos Vlogs, gravar vídeos sobre o mesmo tema do meu blog, maternidade solteira. Pretendo falar sobre os mesmo assuntos, mas através desses vídeos em um Canal do YouTube.

11 - O que os leitores podem esperar do seu blog para o próximo ano?

Espero poder voltar com força total à atividade e estar mais perto do meu antigo público e atingir um novo público, interagindo, trocando, ajudando e recebendo ajuda. Vai ser legal!


_________________  Perguntas da Caroline Cristina pra mim:



1- Quando começou com o blog e por quê?

A ideia surgiu quando me vi grávida e solteira. Sem saber o que fazer, resolvi pedir ajuda, conhecer outras pessoas que já tinham passado pela mesma situação e compartilhar minhas experiências e dúvidas com elas. E também para meus desabafos!


2- Já recebeu críticas ruins? Como lidou com isso?

Sim, já recebi. Já me disseram que eu me exponho muito nas redes sociais falando sobre a minha vida. Mas não me importo muito com isso, já que pude ajudar algumas pessoas contando e compartilhando minha experiência.


3- Qual o seu maior sonho?

Eu tenho um sonho de casar. É, casar. rsrsrsr Enquanto muitos querem ficar solteiros, curtindo, eu quero me casar na igreja com uma grande e linda festa e, claro, que seja com um homem merecedor disso.

4- Quais as suas metas para 2016?

Ainda não listei minhas metas pra esse ano, tenho até que listar para se transformar num post, mas ainda não consegui fazer isso. :(

5- Um defeito e uma qualidade?

Sou muito explosiva e ansiosa. Nossa, e como!!! Mas sou muito sincera. Até demais.

6- Tipos de músicas que você mais gosta?

Ouço mais MPB, mas sou de fases. Tem fases que ouço MPB, outras gospel e por aí vai...

7- Como você se organiza para fazer os posts/videos para o blog?

Não tenho o mínimo de organização. rsrsrsrrs. Ainda mais que há pouco tempo que voltei a usar o Blog, então ainda estou pegando no tranco, buscando mais visualizações, etc....

8- Qual seu blogueiro (a) e Youtuber preferido?


Eu A-M-O a Jout Jout (Youtuber)

9- Um filme ou seriado?

Gostei muito de assistir o seriado
Orange Is the New Black, porque mostra a realidade das cadeias femininas. Estou esperando a próxima temporada.

10- Uma viagem que gostaria de fazer?

Pra Fernando de Noronha e pra Paris.

11- Fale um pouco sobre os cuidados que você tem com o rosto, cabelo e unhas?

Bem, não sou de ter cuidados especiais com nada disso. No rosto uso maquiagem pra esconder as olheiras e imperfeições. Meu cabelo é mega-hair, então tenho que ter alguns cuidados especiais, como não passar creme na raiz, fazer hidratação, fazer a manutenção. E as unhas faço eu mesma, mas demoro, porque tenho preguiça. E não tenho condições de frequentar salões e manicures. Faço o pé de vez em quando na manicure, mas sempre inflama. Aff...


Minhas perguntas para os blogueiros que indiquei:

  1. Qual seu nome? Tem quantos anos? Mora em que Estado/Cidade?
  2. Qual o assunto principal de seu blog?   Tem FanPage? Qual?
  3. Você acompanha algum canal no Youtube de algum Vlogueiro (a)? Qual?
  4. Como surgem as inspirações para as suas postagens no blog? 
  5. Você ganha dinheiro com seu blog? Como?
  6. Um sonho ainda não realizado? 
  7. Uma música que você ama (colocar um trechinho dela)?
  8. Indique um livro que você tenha adorado ler.
  9. O que mais gosta de fazer?
  10. Quais são seus principais planos para 2016?
  11. Poste uma selfie.


 Meus Blogs indicados: (Ainda estou escolhendo os 11)



1. http://maeporacidente.blogspot.com.br/
2. http://superandoopreconseito.blogspot.com.br/
3. http://odiariodeumamaesolteira.blogspot.com.br/
4. http://www.blogmaesolteiraemaquiada.com/
5. http://maessolteirasoficialruth.blogspot.com.br/
6. http://www.tonosalto.com/


*Siga as Blogueiras que você indicar!


quinta-feira, 26 de novembro de 2015
Olá! Bora participar?
Deixe nos comentários uma pergunta sobre SER MÃE SOLTEIRA, dúvidas que surgem em relação a mães que criam seus filhos sozinhas, fazendo os dois papéis, compartilhe dicas para tornar nossas vidas mais fáceis, conte-nos sua história, diga-nos sobre sua experiência, o que foi mais difícil após a maternidade, etc. O espaço é seu, é nosso!
Quem vai ser a primeiraaaaaaaaa????


segunda-feira, 23 de novembro de 2015
Olá, mamães!

Hoje venho divulgar o novo Facebook que criei para ficarmos mais perto umas das outras, tirarmos dúvidas, nos conhecer e nos ajudar. Tenho visto muita mamãe precisando de ajuda ou de simplesmente conversar e, muitas vezes, elas não têm opção, seja por não se sentirem à vontade pra se abrir com os mais próximos, seja por desejarem pedir opinião de outras mãezinhas. Já temos uma página no Face Aqui, mas senti necessidade de criar um face para que possamos nos adicionar e, assim, ficarmos mais próximas.
Ao longo do tempo, pretendo gravar vídeos com os temas mais pedidos, fazer enquetes, etc, pra que possamos aprender mais e mais sobre a maternidade, principalmente a solo. Ser mãe e estar solteira não é tarefa fácil, precisamos sempre de ajuda.
Então, adiciona  e vamos começar a interagir!

Beijos e sucesso!

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

19/11/2015

Não estou bem hoje. Acordei bem, mas comecei e me sentir estranha no caminho. Uma angústia, uma tristeza. Chorei. Chorei pelos meus sonhos adormecidos que parecem tão distantes de ser realizados. Chorei pelas renúncias que tenho que fazer pra realizá-los. Essa maneira da vida se comportar, nos obrigando a abrir mão de umas coisas pra ter outras, me sufoca. Sinto os meus sonhos sufocados. Muitos eu mesma anulei, quando fiz escolhas insensatas, quando dei prioridade para coisas e pessoas que em nada me acrescentaram, só me atrasaram ainda mais. E assim me sinto: atrasada na vida. Mês que vem faço 33 anos. E novamente a pergunta: o que eu conquistei? O que eu tenho? Qual é o conforto que posso dar pra minha filha, que foi a única coisa boa que fiz na tentativa de ser feliz? Agora nem eu consigo me sentir feliz e nem consigo fazê-la feliz. O fato de ela ficar quase 12 horas sendo “cuidada” por outras pessoas, muitas desconhecidas pra mim, me traz culpa, angústia, desolamento. Ela não merece pagar pelos meus erros. Nenhuma criança merece pagar pelos erros dos pais ou de quem quer que seja. E eu tenho um sonho, no meio de muitos outros, que é o de cursar faculdade de psicologia. Mas de quantas coisas vou ter que abrir mão? Da criação da minha filha é uma. Não vejo jeito de sair às 5:30 h de casa (morando com minha mãe) e voltar às 23:30 h numa área de risco. Só vou ver minha filha dormindo, tanto de manhã, quanto de noite, mas isso me acalentaria de alguma forma. Estou próxima e isso me deixaria mais tranquila, mesmo que fosse apenas pra dormir. Mas a criação dela não vai ficar por minha conta. Estarei entregando-a a minha mãe pra educar. E isso não me deixa tranquila. Não que minha mãe não vá criar bem. Mas acho que tenho algumas coisas pra ensinar a minha filha, que minha mãe não me ensinou. No sentido de conversar abertamente sobre tudo, de guiar, de falar dos prós e contras de tudo na vida... tenho essa necessidade, porque tenho certeza de que se eu tivesse recebido isso da minha mãe, eu teria ido para um caminho melhor. Minha mãe me deu muita facilidade na vida e isso não me fez bem, embora eu achasse que sim. A vida não é fácil. De jeito nenhum. Então quando precisei sair debaixo das “asas” da minha mãe, senti o sufoco. E sinto ainda. Agora tenho vontade de voltar, mas já não posso mais. Abrir mão da criação, educação e presença da minha filha, vai ser, no mínimo, motivo pras minhas culpas de mãe aumentarem, mesmo que esteja sendo por um motivo ótimo, de investimento, que é a faculdade. Mas me pergunto: Vai valer a pena? 
A segunda opção seria morar numa República próxima ao trabalho e à faculdade, pra mim seria muito aliviador não enfrentar trânsito, não mais andar nessa correria desenfreada, pegar dois ônibus pra vir, o que me deixa tão estressada, cansada, desanimada. A segunda coisa de que terei que abrir mão é da minha individualidade. Quase não vou ficar em casa, é certo, mas morar com pessoas desconhecidas é bem assustador, mesmo que eu já tenha feito isso, aliás, não foi uma experiência tão boa, embora minha imaturidade tenha compelido a não ser. Hoje são outros quinhentos. Mas tenho uma personalidade e temperamento difíceis. Não sei como seria.

Tô muito angustiada hoje com todos esses pensamentos. E o coração bate mais rápido quando estou assim, o que me causa mal estar. Parece que não está cabendo no peito.
sexta-feira, 30 de outubro de 2015
Legenda: Eu posso.... mas eu não vou.


Na boa, quero mandar um recado pra mim mãe:

Mãe, na boa, se eu tomar um toco do meu trabalho (lê-se: for demitida), vou voltar pra debaixo da sua saia. Vou aceitar ser cuidada e sustentada por você de novo, tá?

Vou ficar de férias (forçadas), vendo TV, comendo e dormindo.
Ah, e somos duas, eu e Bia.
Mas tenho certeza de que você vai adorar ter a nossa companhia de volta.
Justo, né?
Eu juro que lavo a louça e mantenho a casa arrumada, enquanto você trabalha.
E se puder pagar uma faculdade pra mim, eu agradeço imensamente.
Gostou da ideia?
hahahahahaha

#NiviaLouca
sexta-feira, 23 de outubro de 2015


Vendo um vídeo no YouTube, muito me identifiquei e descobri que o que eu tenho é: UM CACHORRO PRETO.

É um cachorro que me visita sem razão, sem ocasião, se nem ao menos avisar. Enquanto o mundo todo parece aproveitar a vida, parece que esse cachorro vive à minha frente e não me deixa ver as coisas boas que eu também posso aproveitar.
As coisas que me faziam bem antigamente, agora não tenho tanto interesse. Eu não tenho a memória boa e nem capacidade de concentração. Parece que o cachorro comeu.
Com ele por perto, é necessário que eu faça uma força sobre-humana pra fazer qualquer coisa, até levantar da cama. 

Quando eu estou entre muitas pessoas, ele vai comigo e, às vezes, espanta qualquer autoconfiança que eu possa ter.
Muitas vezes eu faço muita força pra esconder esse cachorro das pessoas e isso me deixa exausta!
Ele me faz pensar e falar coisas negativas. Ele me deixa irritado e as pessoas não conseguem conviver comigo. Ele afasta de mim o amor e atrapalha minha intimidade com as pessoas.
O cachorro sempre vem me acordar com pensamentos negativos e repetitivos. E ele gosta mesmo é de me lembrar como vou estar cansada no dia seguinte.

Ter um cachorro preto não é se sentir triste ou pra baixo. É mais do que isso. É perder a capacidade de sentir. Às vezes me sinto envolta numa camada de gelo.
Quanto mais eu envelheço, quanto mais o tempo passa pra mim, o cachorro também cresce. E agora se tornou gigante. E bem freqüente em suas visitas.
Eu sempre tento afastá-lo, mas ele geralmente me vence.
Então, me tornei boa em me automedicar, pra que ele pudesse sumir. Mas não estava resolvendo.
Em alguns momentos, eu me sinto isolada de tudo e de todos. O cachorro preto parece que conseguiu roubar minha vida de mim. Quantas vezes eu me perguntei qual o real motivo da vida.
E quanto mais estressada ou cansada eu estou, mais alto ele late. 
Ø    Agora eu procurei ajuda. Ajuda de amigos e ajuda profissional, porque sei que esse é o primeiro passo para a mudança dessa situação. 
O que é esse cachorro preto? E o que fazer com ele? 
ELE SE CHAMA DEPRESSÃO.
·       Descobri que não posso ter medo dele, em primeiro lugar. Preciso enfrentá-lo.
·       Preciso ter a mente serena. O quanto eu puder.
·       Os exercícios físicos, assim como os remédios, ajudam em muito. Preciso administrar meu tempo para incluí-los em meu dia-a-dia.
·       Escrever sobre meus sentimentos pode ser purificador. E isso eu faço sempre!
·       Preciso me lembrar das coisas pelas quais eu sou grata!
·       Descobri que muitas pessoas também têm consigo um cachorro preto e que não existe pílula mágica, embora eu deseje que inventassem.
·       Descobri que remédio pra alguns resolvem, mas outras pessoas precisam de outras opções agregadas.
·       Eu estou aprendendo que ser sincero com as pessoas em relação ao que tenho sentido, me ajuda e muito. Mas que não é qualquer pessoa que entende sobre o cachorro preto. Muitos acham que ele é apenas coisa da minha cabeça, outros acham que sou apenas preguiçosa ou chata ou desinteressada.
·       O conhecimento, a paciência, a disciplina e o bom humor são curadores e precisam fazer parte da minha vida.

Não sou agradecida ao cachorro preto. Mas ele tem me ensinado muito, apesar de tudo. Ele me forçou a reavaliar minha vida e, através dele, percebi que não posso fugir simplesmente dos meus problemas, então devo encará-los.
Não sei se esse cachorro vai sempre fazer parte da minha vida, mas ele não pode continuar sendo do tamanho que ele é e não pode continuar me fazendo o mal que ele me faz!

Veja o vídeo AQUI.


quinta-feira, 22 de outubro de 2015
  

Olá, pessoaaaas!






Dei uma breve passada aqui pra dizer que o Blog está de cara nova. A primeira postagem foi em 10 de janeiro de 2011 (você pode ler AQUI), portanto tem 4 aninhos! 
Nossa, 4 anos!!! E eu, que amo mudar tudo de lugar sempre (porque enjoo de tudo), nunca mudei o layout (pelo menos acho que não. rsrsrs). Agora escolhi esse lindinho, que achei num site. É um layout pronto já, não editável, mas por hora vou deixar esse mesmo. Gostei dele num todo, mas gosto de fazer umas modificações e quando baixamos o layout de algum designer, geralmente é bloqueado pra essas modificações, você fica limitado. Eu gosto do botão "subir ao topo", acho que facilita bastante, gosto do pop up "assinar feeds de notícias", pras pessoas que acessam o email com frequência acompanharem melhor os posts. Ainda não coloquei, mas vou tentar. 

Pois bem. Por que gostei desse layout?
A combinação de cores dele está muito bacana. O tom de verde que se sobressai, me agradou. As figuras que contêm nele combinam bastante comigo, porque adoro fotografia, flores, corações, amo casalzinho de pássaros e gosto da Torre Eiffel, apesar de nunca ter visto de perto. hahahahahahaha
A mulher usa óculos como eu, tem um brinco de pérola como o meu e é da minha cor.
É um layout simples sem muito fru-fru e eu adorei!
Espero que gostem e que eu possa voltar a receber as visitas que recebia antes de ter abandonado o meu querido blog, afinal são 4 anos de amor, mas até no amor a gente passa uma fase meio distante. Né? Ou não? Não sei se entendo muito de amor. hahahahahhaa

Fico por aqui...

"Inté."



Banner antigo. Vou guardar aqui de recordação.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015
Não culpe a Deus, 
não culpe a ninguém,
nem culpe a si mesmo. 

Embora a culpa seja sua, não faz bem se martirizar por isso. Corra atrás dos muitos atrasos e prejuízos.  É claro que você vai ter que administrar o tempo presente com o tempo perdido, mas, você vai saber como fazer isso. 

Não culpe o governo por a crise ter te encontrado desprevenido.  Você foi quem não quis estudar.  Então,  como ter agora uma profissão estável,  uma casa própria e um carro pros seus passeios ou pra enfrentar esse engarrafamento ou o "vai e vem" da vida de forma mais confortável?

Você mesma não quis considerar os sinais que estavam debaixo do seu nariz, que te mostravam - o tempo todo - que aquele idiota não assumiria você nem a paternidade e, por isso, agora você cria seu filho sozinha. 

Não culpe os caras por não querer compromisso com as mulheres,  se você mesma não se valorizou e não mostrou a eles que você era diferente.  Agiu como qualquer outra. 

Não culpe as mulheres se hoje elas estão contrárias a relacionamentos e "cagam e andam" pra casar, afinal tudo o que elas já viram até aqui de histórias de homens aprontando todas, daria um livro mais grosso que a Bíblia. Vocês, homens, vivem aprontando, querendo duas ou mais mulheres ao mesmo tempo e elas se cansaram de ser bestas. Não que eu seja a favor da postura atual delas, odeio vulgaridade e não apoio mulher que sai com um e com outro, mas sei que no meu tempo de adolescência se achavam mais mulheres fiéis.


Não culpe a Deus de não ter facilitado pra você em algum momento, afinal, você valorizaria se alguma coisa fosse fácil??

Faça diferente a PARTIR DE HOJE.

Estude.
Se valorize.
Economize.
Se santifique.
Se equilibre.
Seja diferente.  
Faça sua vida valer a pena. 

Vai ser fácil?  Não!  Talvez você tenha menos tempo do que teve até aqui. 

20, 30, 50... quantos anos você tem ?? O que você conquistou? Um marido que te humilha? E, claro, continua casada pra manter o STATUS: CASADA. É bonito ser casada. Mas é feio ser infeliz e viver se aparência.

Você vai chorar ainda muitas vezes, vai sofrer, vai desanimar, vai querer recuar.  Mas lembre-se e se pergunte: 

O que eu conquistei até hoje ??? 
O que eu tenho pra me orgulhar no meu próximo aniversário? ?
E aí,  recomece. 

Talvez alguém tenha uma grande parcela de culpa: seus pais. Que fizeram tudo errado, te ensinaram errado ou nem se importaram com o que você seria no futuro.  E talvez não. Talvez eles tenham te dado o suporte necessário, mas você não quis aproveitar.
  
O fato é: De que adianta achar o culpado ?
Ache a solução!  

Ache o tempo que em algum lugar você perdeu.  

Volte.  Volte nas lembranças e veja onde errou. E RE-CO-ME-CE.

Não há uma máquina do tempo. Mas ainda há tempo pra recomeçar. 

Nívia F.


quarta-feira, 9 de setembro de 2015
E minha primeira publicação após minha volta, vai ser para dar notícias dela.
Ela já tem 4 anos!



 Ela está muito inteligente. Aprende as coisas muito rapidamente, sabe cantar músicas enormes e repete falas de desenhos como se estivesse num palco de teatro. Grava vídeos fazendo suas próprias 'comidas' feitas de massinha de modelar, água, terra, etc. É claro que quase toda mãe acha o seu filho inteligente, mas ela é MUITO inteligente, muito mais do que várias crianças da idade dela. Não que as outras não sejam inteligentes também, entendam bem, mas algumas crianças têm mais facilidade de aprender e se desenvolvem bem mais rápido do que outras. E isso não a torna melhor, só me torna mais babona e orgulhosa de acompanhar as coisas que ela tem aprendido.


  Ela ganhou esse brinquedinho quando ainda estava na minha barriga. É claro que não brinca mais com ele, mas quando eu o achei lá em casa esses dias, me voltaram memórias daquele tempo e hoje eu penso: Ela já está com 4 anos, nossa! É um mordedor.

E eu - pasma - achei esse desenho esses dias no caderno dela. Eu não sabia, mas descobri que ela já sabe fazer orelhas, olhos, cabeça e boca, embora as orelhas sejam do tamanho dos olhos, me sinto muito orgulhosa de ver o primeiro desenho dela! hahahahahaha

Esse é um dos grandes problemas de deixarmos filhos tanto tempo em creche. A minha fica durante quase 12 h por dia, divididos entre escola e creche. Nós muitas vezes não temos consciência do que eles já aprenderam estando lá e têm coisas que nos entristecem, porque não fomos nós que ensinamos. Muitas vezes não vemos nossos bebês darem o primeiro passo, falarem a primeira palavrinha e nem sabemos quem é o primeiro 'melhor amigo'.
______________________________

Em contrapartida, ela está MUITO desobediente, pirracenta (desde cedo), independente até demais, quer fazer coisas de adultos e acaba fazendo besteiras por isso. Está me deixando de cabelo em pé, porque tem horas que eu acabo sentando e me perguntando: Meu Deus, o que eu vou fazer pra mudar isso??
Como falta a figura masculina, que é muito importante na criação de um filho, tenho minhas dificuldades na educação dela. Confesso que, às vezes, me sinto incapaz e tenho medo de errar nessa educação e acabar com o meu sonho de criar uma adolescente e adulta exemplar. Quando uma mulher com filhos procura um novo relacionamento, não procura um homem (algumas, né?) pra sustentar os filhos e sim pra dar um apoio afetivo e uma força na educação, que é tão difícil pra uma pessoa sozinha, ainda mais sendo mulher.

>>>> Em outros posts, vou dando mais detalhes dessas dificuldades e, quem sabe, recebo aqui pessoas que me ajudem nessa questão. Como eu disse: Uma ajudando à outra!

Beijão!

    Oooooooi, gente lindaaa! Blogueiras do meu Brasil!! 
   Já estava há tempo com saudades daqui, também de outros blogs que eu acompanhava e resolvi voltar! Isso mesmo!
    Na página no Face Clique aqui, até hoje recebo várias curtidas e ainda recebo emails de pessoas que estão hoje na mesma situação que um dia eu estive e fico feliz em poder ajudar ou tentar, pelo menos. 
    Resolvi voltar, mas saiba que não levo comigo mais esse 'rótulo' de mãe solteira. Sou mãe e estou solteira, temporariamente. Não vou morrer assim. Pelo menos, acredito que não. hahahahahahha - E por isso, ia fazer outro blog, mas resolvi continuar nesse, até porque minha história desde a gravidez está toda aqui, até o 1º ano da minha baby, que agora já tem 4 anos!!! Isso mesmo! O tempo passou e eu nem vi! Porém, o tempo vai passando e vamos repensando algumas coisas e pude ver que essa expressão MÃE SOLTEIRA leva muito pesos consigo, muito preconceito, culpa, vitimização, etc. Tô fora disso. Não quero viver me culpando, passando por preconceitos e nem tampouco me vitimizando: Oh, sou mãe solteira, fui abandonada, o cara me largou, não quis a filha.... Não! Nada disso!! Aconteceu, bola pra frente! Somos mulheres! Temos a capacidade que homens não têm de fazer várias coisas ao mesmo tempo, sermos mãe, mulheres, donas de casa e profissionais. É claro que isso requer muitas renúncias, mas a vida é feita de renúncias, até quando somos casadas. Não é mesmo???  Se você é casada, tem filhos e não renuncia várias coisas ao longo da vida, tem algo errado aí.
    Quero continuar ajudando vocês e sendo ajudada, afinal a maternidade não é nada fácil, nem de longe é parecida com aquele comercial de Margarina, é uma maratona e diversidade de obstáculos a vencer. E quando uma ajuda a outra, tudo fica mais fácil.

    Então vocês já sabem...  

Receba atualizações no Email.

Pesquisar sobre

Quem sou eu

Minha foto
Aos 34 anos, sagitariana com ascendente em capricórnio (discordo, mas fazer o quê?!), do Rio de Janeiro (com louca vontade de morar num lugar tranquilo), estudante de psicologia (mas cheia de problemas de cabeça. rsrrsrsrs), mãe e pai da pequena Bia, de 5 anos. E esse blog fala da nossa trajetória, dos meus sentimentos, minhas muitas lamentações, etc.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.