quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011




É uma emoção inexplicável estar numa ultra-sonografia e saber o sexo do bebê. Nossa! Sem palavras! Saí de lá nervosa, com as pernas bambas, com vontade de chorar...


UMA MENINA!


Uma menina pra eu embelezar, pra embelezar a minha vida, pra levar pro shopping, pra vestir de moranguinho no aniversário de 1 aninho, pra me dar um abraço inesperado, enfim, pra que eu me sinta realmente amada incondicionalmente!


Emoção impagável que homem nenhum tem, mesmo sendo pai, porque não levam em seu ventre esse ser, por isso alguns deles não se dão conta desse momento único de saber o sexo da criança... Ou nem mesmo ligam se vão ter uma criança!


UMA MENINA!


Pra chamar de minha, de filha, de amor, de vida...
Pra educar, pra ouvir chorar a noite toda de cólica, pra levar ao médico em dias de chuva, de ônibus, sombrinha e uma bolsa ao lado...
Pra dedicar todo o salário (que é pouco) pra ela e deixar de comprar as coisas mais lindas que vejo na vitrine...


Vai valer à pena. Já tá valendo. Já tenho que reunir forças pra trabalhar pensando na minha menininha. E hoje é dia! Preciso de forças.


Essa noite toda sonhei com a minha barriga e de manhã sonhei com quem? O pai, de novo.
Sonhei que estávamos num carro e ele queria ir no dia seguinte na ultra, me perguntou se eu queria. Eu disse que se ele quisesse, que aparecesse na hora e no endereço que lhe passei; que eu não iria ligar, nem procurar, nem esperar. Se ele aparecesse, seria bom, iria gostar porque ainda gostava dele e queria que ele fosse, mas se não aparecesse, paciência.


E... Acordei... Vi que era um sonho e só podia ser um sonho...
Na verdade, fiquei muito mexida, porque quando soube da  minha gravidez (e duvidava que era dele o bebê) disse que poderia ser uma menina, já que tem meninos, e isso me fez querer estar com ele pra compartilharmos essa alegria. Mas é uma alegria minha, né? Única e individual...


Meu amigo foi comigo e agradeço a ele por dividir essa alegria comigo, porque uma emoção tamanha tem que ser compartilhada e extravasada. Meu amigo do peito.


Depois fui dar uma olhada em roupas e acessórios com minha mãe, numa alegria profunda (minha e dela!), anotei preços, deu vontade de comprar TUDO! Quem diria que iria ser a minha mãe a companhia para procurar roupas pra minha menininha? Mas, esperando bem, quem mais poderia ser? Minha mãe é que tá do meu lado... Mãe é mãe!


Ah! E quanto à história que "o pai é que determina o sexo do bebê" com seus genes.... Ih, pura balela! Ele tem dois meninos e EU (EU!) vou ter uma menina. O QUE ISSO QUER DIZER? Que na minha vida homem nenhum determina nada, nem sexo de bebê! kkkkkkk


Beijos.


De volta à labuta!

2 comentários:

  1. Bem vinda ao clube(mães de meninas!!! feliz por vc ta melhor!!! Aceitando +++!!! isso força!!!

    ResponderExcluir
  2. N minha ultra pra saber o sexo eu fui só... Sempre só... Hoje eu tenho o Pedro!
    Somos felizes. MUITO felizes.
    Ah! E o papai hoje particvipa de muita coisa.
    beijo grande nas duas!
    Cinthya

    E PARABÉNS PELA MENININHA!

    ResponderExcluir

Receba atualizações no Email.

Pesquisar sobre

Quem sou eu

Minha foto
Aos 34 anos, sagitariana com ascendente em capricórnio (discordo, mas fazer o quê?!), do Rio de Janeiro (com louca vontade de morar num lugar tranquilo), estudante de psicologia (mas cheia de problemas de cabeça. rsrrsrsrs), mãe e pai da pequena Bia, de 5 anos. E esse blog fala da nossa trajetória, dos meus sentimentos, minhas muitas lamentações, etc.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.