sábado, 28 de janeiro de 2012

Bem, hoje quero falar sobre um acontecimento que já se tornou rotina dentro e fora do Brasil. Estive conversando esses dias aqui em casa, por mais de uma vez, sobre essas crianças que foram estão sendo abandonadas por suas mães ao nascer, enquanto existem mulheres por aí desesperadas pra terem um filho e não podem. Tenho um caso em minha família e me parte o coração saber que é uma pessoa que iria ser um SUPER-HIPER-MÃE. Mas por algum motivo, não consegue dar à luz.

Pesquisando sobre mães solteiras na net, como sempre faço, achei o site http://www.orphancare.org.my/ falando sobre bebês abandonados e Uma organização de caridade malaia, que preparou uma sala em seu escritório, com um berço especialmente preparado para que, mães que não queiram os filhos, possam deixar seus bebês de maneira anônima.


Eu, Nívia, particularmente, gostei e apoio muito a ideia, afinal não acho que isso vá incentivar as mulheres a abandonarem seus filhos. Acho que, uma vez que, uma pessoa tem a índole de abandonar uma criança em qualquer lugar, ela vai abandonar, existindo a ONG ou não! E por que não, deixá-la em mãos preparadas para cuidar e encaminhar o bebê?

Gostei tanto que desejei mesmo que tivesse uma ORGANIZAÇÃO dessa aqui, já que as pessoas não se dignam em deixar a criança em instituições já existentes, como: orfanatos, hospitais, igrejas ou até mesmo na porta da casa de alguém, como antigamente, que as pessoas deixavam nas portas das pessoas e NÃO EM SACOS DE LIXO NO MEIO DO MATO! Gente, isso me dilacera a alma e se pudesse, eu mesma abriria uma ONG dessas por aqui!

Leia a matéria  aqui e visite o site aqui. O site é em inglês, mas o Google Chrome traduz. VALE À PENA LER!

E você?  Apoia ou não essa ideia???

12 comentários:

  1. Oi, Nívea! Muito bacana sua postagem. Também me corta o coração a cada vez que vejo um noticiário de bebês jogados a própria sorte de maneiras tão cruéis pela pessoa que deveria proteger e amar. Sou super a favor dessas ONGS, a favor da extinta roda dos enjeitados, que na verdade deveria se chamar "roda da esperança". Apesar de saber que muitas vezes, o que falta não é informação e sim humanidade. Esses bebês, são apenas testemunhas inocentes e silenciosas de um ato que não podemos aceitar - a crueldade. Seguramente existem muitas pessoas que amariam essas crianças.

    Abraços carinhosos!

    ResponderExcluir
  2. Lindo e lindo seu blog! E sua filhota é tão fofa,oh meu Deus,e oh continue com essa garra, você é uma mãe vitoriosa.

    Parabéns;D
    /Helisa Brito

    http://www.maisestilosa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helisa. Olha, tô me redescobrindo, viu? Realmente pra fazer o que eu faço pra sustentar a minha filha, sou guerreira. Vendi coisas, trabalhei na praia num sol de 40 graus durante 3 dias, etc. Enquanto as pessoas estão aí abandonando os seus filhos em sacos de lixo...

      Excluir
  3. Infelizmente, no Brasil, as leis forçam as mães a aceitarem seus filhos mesmo que não queiram...

    Não importa onde você deixa a criança... Se você a abandonar ela no hospital, num orfanato, etc., você terá que ser reconhecida pela policia, enfrentar uma investigação por abandono de menor E ficar com a criança até que o Conselho Tutelar e a Justiça decida que realmente você não tem condições psicológicas para criar a criança.

    ... Oi?
    Não acho que uma mãe que chegou a decisão de abandonar seu filho precise de alguém dizendo isso a ela.

    O problema da adoção no Brasil é dos dois lados. Para os querem adotar... E para as mães desesperadas que não se acham capaz de criar seus filhos e não os querem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E por isso, envolve o bebê num saco de lixo e joga fora?? Se não quer passar por uma acusação de abandono de menor, pelo menos que deixe na porta de alguém que vá entregar a criança em mãos devidas. E, me desculpe, a lei está certa. Por que fez o filho? Porque fez sexo. Se não foi estupro... ela quis. Mesmo que todos nós passemos por momentos de irresponsabilidades, devemos arcar com elas e assumirmos nossos erros. Se não é possível assumir o filho, deixe-o em lugar em que vai ser cuidado e encaminhado e não num saco de lixo pra morrer lá!! Eu não tinha e ainda não tenho nenhuma condição de sustentar minha filha, embora eu faço o possível pra isso, mas mesmo assim assumi minha responsabilidade, já que na hora do bem bom, eu virei os olhinhos, né??

      #indignaçãototal

      Excluir
    2. E ainda quero completar mais: sou contra aborto, mas ainda prefiro que a pessoa aborte nos primeiros meses de gravidez, do que fazer tal coisa...

      Excluir
  4. Excluindo este anônimo,que como o nome diz não é nin guém.Concordo com todos os comentários e achei a ideia excelente.Trabalho em defesa da vida há mt tempo!!!Passando para conhecer e seguir as amigas do Blogueiras Unidas que também participo!!Bjsss
    http://rumoslibertadores.blogspot.com – 494

    http://zildasantiago.blogspot.com - 493
    http:carinhossorteiosetcetal.blogspot.com – 955

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Zilda. Se todos nós tivéssemos um pouco de humanidade, teríamos uma vida e um mundo melhor. Mas... as pessoas preferem cada um por si. Tô te seguindo, bjs.

      Excluir
  5. Olá sou blogueira unida nº1263 encontrei o seu blog lá e vim fazer uma visitinha gostei tanto que ja estou te seguindo, adorei as dicas...
    Te convido a ir visitar o meu e se gostar segui tbem...

    http://casinhadosonhodapaty.blogspot.com/

    Bjs te espero lá pra uma visitinha.

    ResponderExcluir

Receba atualizações no Email.

Pesquisar sobre

Quem sou eu

Minha foto
Aos 34 anos, sagitariana com ascendente em capricórnio (discordo, mas fazer o quê?!), do Rio de Janeiro (com louca vontade de morar num lugar tranquilo), estudante de psicologia (mas cheia de problemas de cabeça. rsrrsrsrs), mãe e pai da pequena Bia, de 5 anos. E esse blog fala da nossa trajetória, dos meus sentimentos, minhas muitas lamentações, etc.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.