quinta-feira, 5 de janeiro de 2012
                                   



Bem, hoje vim aqui pra contar a novidade da semana. Acho que com a chegada do ano novo, a gente fica bem retrospectivo, pensa no que realizou de bom no ano que passou, pensa no que deixou de fazer e pensa nos erros também, pra não cometê-los novamente no ano que se inicia. Pelo menos eu sou assim. E pelo jeito o novo ano chegou trazendo coisas boas pra mim e pra Bia. Já não era sem tempo, né? MERECEMOS.

  O papai da Bia reapareceu. Acho que ele também tá nessa de retrospecção. Particularmente fico muito feliz, porque a minha esperança de que a minha filha cresça sabendo que tem um pai presente, que pode contar com ele, que tem o amor dele, renasceu. Nós mães sabemos como é ruim nos virarmos sozinha pra tudo, as mães solteiras sabem mais ainda. Já relatei várias vezes como eram ruins as consultas que ia sozinha na gravidez, nas ultrassonografias, na hora de comprar coisas pro enxoval e depois que a Bia nasceu também, muitas dificuldade passei e quem me ajudava era minha mãe, mas nada como termos o paizinho da bebê (ou do bebê) nos dando apoio na hora de acordar de madrugada, na hora de nos ajudar por causa da cirurgia (no caso de parto cesária), na hora que o bebê tá enjoado e a gente tão cansada que nem tem mais tanta paciência de fazê-lo se acalmar... Isso tudo foi minha mãe que presenciou e me ajudou. Mãe é mãe.
  E na hora que o bolso fica vazio?? Precisamos da ajuda do pai, afinal de contas, não estávamos na cama sozinhas na hora em que o bebê foi feito. E na hora em que o bebê está sentindo aquela famosa cólica e temos que ficar ali fazendo de tudo pra que aquilo passe logo? Muito bom ter o pai nessas horas e em todas as outras horas também, as felizes, quando nosso bebê começa a gargalhar, começa a tentar falar, quando já pede nosso colo, quando saímos de perto e ele chora... Ah, isso é uma alegria incomparável! 
  Eu tive a alegria de poder ver isso tudo da minha filha e ainda ver, e isso me faz cada dia mais feliz. Eu, que era uma mulher insatisfeita com a vida, que sempre vivia reclamando dela, achando que se ela acabasse seria melhor pra mim. Uma pessoa com tendência à depressão, desacreditada do amor, das pessoas, sem vontade de viver, muitas vezes. Ahhhhhh, só DEUS pra saber como essa filha veio na hora em que eu mais precisava. Na hora em que eu não via mais perspectiva de nada, quando eu vivia por viver. Mudou toda a minha vida. Claro, deixei de fazer tudo o que eu gostava, coisas que fazia até pra espantar a solidão, a tristeza e depressão. Mas sei que  as coisas que eu mais gostava, estão me esperando ainda, e vou fazê-las com minha filha, minha companheirinha...

O que queria dizer com isso tudo?? Ele perdeu. Perdeu muita coisa da vida da Bia, mesmo que ela ainda tenha 6 meses, está perdendo a oportunidade de deixar de ser também a pessoa insatisfeita e descrente que ele é. Não confia mais nas pessoas, acha que todo mundo quer ferrar ele, que as mulheres só querem dinheiro, acha que a vida é só complicação... Confesso que eu era uma pessoa assim, mas eu agarrei a oportunidade que DEUS me deu de mudar isso tudo e hoje sou cheia de motivos pra sorrir. Não tenho tempo de ser infeliz, minha filha linda e perfeita está sempre lá fazendo gracinhas, dando sorrisões, "falando" à beça comigo... 
  O que me deixa infeliz agora é não poder comprar as coisas que ela precisa, comprar mimos pra ela, colocar numa boa creche, depender da minha mãe, ter que vender um montão de coisas na minha casa pra poder ganhar um dinheiro e, pelo menos, garantir o leite dela...
E o que me deixa mais infeliz ainda é saber que minha filha um dia vai começar a entender o que é pai e o que é mãe e que suas amiguinhas têm um pai e uma mãe, mas a mãe dela faz os dois papéis... É chato demais pra um adulto saber que o pai dele o renegou, o ignorou, não o amou... Ainda mais pra uma criança...
  E sentir agora que o pai está se reaproximando, que ele voltou atrás e viu que a Bia não tem culpa de nossos erros, que ela não pode pagar por nossos egoísmos e orgulhos de adultos, é  de me fazer sentir a esperança renascendo. Perdoo ele por ter ficado longe esse tempo todo, porque amo, AMO minha filha incondicionalmente e quero vê-la feliz, mesmo que pra isso eu tenha que engolir sapos e lagartos, mesmo que pra isso eu tenha que engolir meu orgulho ferido de ter passado tanto constrangimento na hora de responder à pergunta: E O PAI, TÁ FELIZ???
Mas que ele venha em paz, venha disposto a fazê-la feliz mesmo, que venha disposto a estar com ela toda vez que precisar, que esteja disposto a dar uma educação de verdade a ela e não isso que chamam de educação hoje em dia... E que se vier, venha de uma vez e não fique indo e voltando toda vez que tivermos um desentendimento. Estou disposta a fazer de TUDO pra nos darmos bem em todos os momentos, mas uma pessoa só não basta, tem que ser as duas, num mesmo pensamento.

Papai, se você se aproximar, com verdade, de coração, será o melhor acontecimento do nosso ano de 2012!!!

Beijos a todos!


4 comentários:

  1. menina, me arrepie com isso, q post lindo...
    Qd a Dudinha nasceu, eu estava ainda com o pai dela, digo estava pq era loucamente apaixonada por ele, e mesmo passando a maior parte da gravidez sozinha, sem ele, eu ainda o amava...
    enfim, qd a Duda nasceu, eu dei dinheiro a ele, para pagar a passagem de onibus pra visitar a gente no hospital, ja que ficamos 5 dias la, pq ela nasceu com infecção na urina.. qd saimos do hospital, ele ia em casa todos os dias, nos primeiros 5 dias, depois arrumou um serviço na cidade de são paulo e se foi, voltando 1 mes depois... se eu aind ao amava, sim, queria ficar com ele sim, então o que mudou, mudou qd eu vi que ele tinha feito mais uma tatuagem nas costas nesse mes, e não tinha trazido nem 1 pc de fraldas c/ 8 para nossa filha.. isso acabou comigo... ter meu pai sustentando minha filha, minha mae e a minha vizinha q escolhi para ser madrinha dela me dando força, qd recebia visitas, morria de tristeza qd perguntavam do pai...
    Como se não bastasse o desprezo dele, a familia dele, tbm não estava nem ai...

    Resolvi que daquele dia em diante, nãoo aceitaria como namorado mais, depois de um namoro de 2 anos, não podia acreditar n q ele fez comigo, tudo piorou qd uma amiga me contou que viu ele saindo da casa de uma moça s 2 da tarde,de cabelo molhado e tudo

    Fiquei chocada, passei natal e ano novo triste com isso,mas muito feliz de ter minha filha.. sabe pior não foi ele me trair, o pior foi abandonar a Dudinha, que alem de tudo, nasceu com luxação congenita nos quadris, e qd fez 1 mes precisou colocar aparelho ortopédico...
    Não sei como eu não entrei em depressão, vendo minha bebezinha com aquele aparelho, ela não podia nem tomar banho descente... e o pai dela ligava de vez enquando..com a cara deslavada querendo ve-la, não trazia nada

    Ai eu me enfezei, não deixei mais ele ver ela de graça, queria muito colocar ele na justiça, estava d cabeça quente.. Meu pai não deixou, tomou p ele o sustenta dela e meu, ja que eu trabalhava p ele... qd o pai dela ligava, meu pai com toda educação do mundo, simplesmente falava p ele desaparecer

    E foi assim, ele as vezes aparecia d surpresa, de supetão, principalmente na loja do meu pai, eu queria mata-lo, mas meu pai, muito sabio, conversava com ele, deixava ele ver a menina e ele sumia d novo

    Depois me casei...

    Qd a Duda completou 5 anos, contei a ela sobre o "pai da sementinha", ja que o papai d verdade ela fala q é meu marido...
    Nessa mesma época, liguei para outra ex namorada dele, ainda mais antiga q eu, que tbm tinha um filho dele, e nós apresentamos as crianças...
    Tbm procurei a mae dele, vó dela, e apresentei a menina, ja q ela nunca procurou

    e agora estamos assim, as vezes ligo p a avó dela, elas conversam um pouco, tbm ja conheci a atual ( coitada) esposa dele, e seus outros 2 filhos...
    Ele ainda não procurou a Duda, ainda esta em São Paulo, mas sei que um dia ele vai se interessar me conhecer a filha.. e ver como ela é linda e bem cuidada... Deus é justo e vai fazer ele morrer de remorso de ter abandonado seus 2 filhos lindos, pq o irmão mais velho da Duda é um menino lindo...


    Nossa , desabafei... desculpe

    só p completar, hoje eu não sinto mais raiva dele, eu sinto pena...


    bjus e boa sexta p vc e para a Bebe linda

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Eliane! Seu comentário também me emocionou muito, quanta dificuldade passamos, né? Em pensar que amamos os pais das nossas filhas tanto a ponto de ignorarmos várias coisas que eles fazem, mas se fizerem mal às nossas filhas, tudo muda de figura. Amanhã vou encontrar o pai dela e levá-la pra ele ver de novo, mas vou estudar muito o comportamento dele quanto a ela e quanto a questão financeira, porque não basta falar que é pai, tem que colaborar. Eu coloquei ele na justiça já, mas estou esperando sair a resposta. Ele já tinha dito que queria comprar um carro no início desse ano, mas como relutou tanto em dar 100,00 pra ela?? Acho que ele pensa que eu vou pro shopping gastar tudo comigo mesma! Ele não me conhece. Ele também tem 2 filhos, além da Bia, mas ele paga pensão aos outros dois. Não é um mau pai nem uma má pessoa, mas confunde muito a relação homem-mulher com a relação pai-filha. As crianças não tem que pagar por nada, mas tem homem que é imaturo demais pra se dar conta disso. Agradeço muito seu comentário. Me enriquece muito e espero que você volte mais vezes, seja pra o que for, compartilhar suas experiências, que podem me ajudar e muito e mais outras pessoas, ou pra desabafar, ou simplesmente pra acompanhar meu blog. Obrigada, beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Oi flor, lindo seu post. Penso assim também, eu passava por uma fase tão complicada antes da minha Alice nascer. Os problemas não diminuíram, mas tenho a doçura do sorriso dela pra me confortar.

    O pai dela não se importa muito, e não sentimos a falta dele. O trabalhoi é dobrado pra mim, mas tenho certeza que ainda encontrarei uma pessoa bem bacana que ame minha filha como se fosse dele!

    Felicidade pra vocês duas e um maravilhoso 2012!

    ResponderExcluir
  4. As alegrias com certeza são maiores do que as dificuldades. Eles é que perdem! Bjs e ótimo ano novo!!

    ResponderExcluir

Receba atualizações no Email.

Pesquisar sobre

Quem sou eu

Minha foto
Aos 34 anos, sagitariana com ascendente em capricórnio (discordo, mas fazer o quê?!), do Rio de Janeiro (com louca vontade de morar num lugar tranquilo), estudante de psicologia (mas cheia de problemas de cabeça. rsrrsrsrs), mãe e pai da pequena Bia, de 5 anos. E esse blog fala da nossa trajetória, dos meus sentimentos, minhas muitas lamentações, etc.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.