sexta-feira, 11 de março de 2011



Não conheço ainda a dor do parto, mas sei que a mulher, quando grávida, sente algumas dores peculiares. Uma pontada aqui, outra dorzinha ali. As costas doem de vez em quando, uma dor no peito por causa da falta de ar, etc e tal.
Mas essas não são as piores dores. Não mesmo. Pelo menos pra mim.
Nossa, a dor da solidão é cruel, insistente, machuca mesmo... Uma dor que chega, se instala e faz você olhar tudo ao redor com um olhar de desesperança, olhar de crítica, de tristeza até.


Tô assim, meio sei lá.
Ando estressada demais, enjoada demais, sensível demais, cansada demais, ansiosa demais, me sentindo sozinha demais. E, sabe? Acho que Deus decidiu me dar essa filha pra que eu não sinta mais solidão...
Mas às vezes também fico pensando se vou deixar de ter essa sensação... Não quero essa tristeza depois que minha filha chegar. Quero que ela saiba que estou feliz com a chegada dela e, além do mais, tenho medo de que essas insatisfações e estresses venham afetar a saúde dela, enquanto está na minha barriga.


Ai, não ia me perdoar. 
Mas sabe, minha vida tá muito difícil... Muita cobrança no trabalho, uma maratona pra chegar lá e voltar de lá, essa obra em casa que nuuuuunca acaba, me acorda cedo, minha mãe vai dormir às tantas da madruga mexendo nessa cozinha direto e durmo tarde!!!
QUERO MINHA CASAAAAAAA!!!!!


Esse salário que não dá ainda pra comprar as coisas da minha pequena, pintar o quarto, refazer tudo para a chegada dela; faltam só 4 meses, menos até e nada foi feito...
Ô, ansiedade!


As pessoas falam pra eu ter calma... Mas que vida difícil é essa, pra ter calma??
Queria pegar a estrada, ir pra uma pousada longe daqui, de manhã quando acordar ir à praia caminha com chuva ou com sol, de tarde almoçar, cochilar lendo um livro, de noite caminhar no calçadão... Paz... Quero paz... Só isso.


Estou numa época em que nem uma conversa com um homem do sexo masculino (um homem interessante, claro) posso ter. Minha sensibilidade faz com que eu me sinta mais só ainda de não ter um homem interessante desses ao meu lado. É, ODEIO mesmo ficar sozinha. E isso tá pesando muito. Um fiapo de atenção que ele me der, acho  que sou capaz de me apaixonar loucamente. :/


Nesse caso, é bom evitar contato com homens interessantes...


Boa noite pra todos...

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

Receba atualizações no Email.

Pesquisar sobre

Quem sou eu

Minha foto
Aos 34 anos, sagitariana com ascendente em capricórnio (discordo, mas fazer o quê?!), do Rio de Janeiro (com louca vontade de morar num lugar tranquilo), estudante de psicologia (mas cheia de problemas de cabeça. rsrrsrsrs), mãe e pai da pequena Bia, de 5 anos. E esse blog fala da nossa trajetória, dos meus sentimentos, minhas muitas lamentações, etc.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.